Quinta, 27 de Janeiro de 2022
26°

Pancada de chuva

Uruará - PA

Esportes Exclusão

TJD-PA expulsa Remo e Esmac do Parazão feminino por insultos homofóbicos

Membros das comissões técnicas das equipes teriam proferido palavras homofóbicas

24/12/2021 às 09h57
Por: Joabe Reis Fonte: Da Redação
Compartilhe:
TJD-PA expulsa Remo e Esmac do Parazão feminino por insultos homofóbicos

O Tribunal de Justiça Desportiva do Pará (TJD-PA) decidiu na tarde desta quarta-feira (22) excluir o Remo e a Esmac do Campeonato Paraense Feminino. De acordo com decisão, membros das comissões técnicas das equipes teriam proferido palavras homofóbicas para uma atleta do Cabanos, outro clube da competição.

 “Em testemunho, Denis Lima Correa (diretor de futebol feminino do Carajás) relatou que ouviu os insultos sobre a sexualidade das atletas daquela partida e que estes partiram de atletas do Clube do Remo e da Esmac que haviam encerrado a pouco um outro jogo no mesmo estádio”, diz a ata da sentença.

Ambas as equipes foram enquadradas no artigo 243-G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. Veja:

Art. 243-G. Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência: (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).

PENA: suspensão de cinco a dez partidas, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de cento e vinte a trezentos e sessenta dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código, além de multa, de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais). (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).

Em Nota o Remo alega que ambas equipes não foram notificadas para comparecer no julgamento.

"O Clube do Remo foi surpreendido quando recebeu, informalmente, a informação de que teria sido excluído do Campeonato Paraense de Futebol Feminino em julgamento realizado em sessão para a qual não foi intimado. Imediatamente o jurídico do Clube protocolou recurso voluntário requerendo a suspensão da competição e a revisão do julgamento, o qual classifica como infundado e descabido. O Clube do Remo confia na reversão da decisão, ante à sua insustentabilidade, no Pleno do Tribunal de Justiça Desportiva do Estado do Pará, este composto por experientes auditores", diz a nota.

Já a Esmac, por meio do presidente Elcio Souza, disse que as acusações feitas não possuem provas. A Esmac está surpresa com essa situação. Não fomos notificados, não sabíamos de nada. Uma situação que ocorreu um jogo que, segundo eles, atletas da Esmac e do Remo passaram e falaram algumas coisas. Tudo sem prova alguma, não sabem quem é, quem falou, não determinam quem foi a atleta, quem foi o membro da comissão técnica. Estamos preocupados mas tranquilos com a situação. Estamos tomando as medidas cabíveis quanto a isso”, comentou.

As duas equipes entraram com recursos junto ao TJD-PA e aguardam decisão do tribunal.

Publicado pelo site https://www.oliberal.com/ (Beatriz Reis, sob supervisão de Caio Maia, repórter do núcleo de esportes)

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias